segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Confissões


As vezes me flagro pensando em você,
Em seu olhar e em seus cabelos,
Finjo que tudo é uma ilusão boba de minha mente,
Somente para fugir da real verdade que esta na minha frente.

Fujo de mim mesmo a cada instante que passa,
Cada passo é como correr para longe do que quero alcançar, do que sinto e do que procuro,
Vejo os dias que se passa contando no calendário, tudo uma forma escapar do que esta dentro mim.

Lembrar do que foi ou do que seria,
De algo que nunca aconteceu, pelo menos não como queria.

Reflito e imagino o que seria ou o que poderia ser, como algo que escapa por entre meus dedos,
Mas como posso sentir algo que vivi longe daqui?

Autor: Paulo Cuba

4 comentários:

Ricacali disse...

O sentir faz isso, ultrapassa tempo e espaço, por isso a necessidade de nos conhecemos. Mas não fuja de vc nunca, nem dos seus sentimentos.

Paulo Cuba disse...

Rs Entendo, e após entender isso que nunca mais o fiz...

Como uma frase que fiz:

"Uma frase ou reflexão, fala primeiro para quem a criou antes de servir para uma outra pessoa".

Este texto já existia a algum tempo.. lembro quanto tempo, mas só publiquei agora... Precisava de uma manutenção e ainda acho que precisa...

As vezes me encontro com textos que há muito foi escrito mas não lembrava rsrsrs

Ricacali disse...

Hoje pensei muito nessas palavras, primeiro os sentimentos, algo tão díficil para eu explorar e entendi o pq, junto com sentimento veio a palavra tristeza, sentimento que não quero sentir, mas insistir em exisitir.

Mariana Fulfaro disse...

Ai, que forte! Muito intenso!