terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Caminhos da Vida

Muitas pessoas se perguntam o porquê algumas são mais maduras e compreende mais as coisas do que as outras.

No passado o nível de maturidade de uma pessoa era "determinada" pela idade cronológica que ela tem (idade em anos). Mas isso muitas pessoas sabem hoje que é mentira.

Uma pessoa aprende algo quando ela passa por uma dificuldade, com essa dificuldade ou problema, ela vai se desesperar com uma situação nova ou uma situação a onde ela ainda não tenha "ferramenta" para auxiliá-la a como resolver aquela questão. Nesse momento ela vai passar por um transtorno chamado estresse. O Estresse nesse caso é gerado quando tentamos resolver um problema e não conseguimos e ficamos tentando, tentando e tentando até encontrarmos uma solução para aquele problema ou, desistimos de tentar e "passamos por cima do problema".

Ao fazermos isso cometemos um dos maiores erros que as pessoas cometem, que é jogar fora um momento que poderíamos amadurecer e evoluir.

Quando deixamos de lidar com um problema por medo, por cansaço ou somente por preguiça (sim, tem isso também), cometemos um grande erro por quê? Porque se estamos passamos por aquele problema ou aquela crise é porque futuramente vamos precisar das ferramentas que adquirimos com essa crise para resolver um problema ou mesmo, ajudar outra pessoa.

Um exemplo disso, quando temos nossa primeira desilusão amorosa e sofremos com aquila situação porque é nova pra nós, nunca tínhamos passado por aquilo antes e ficamos procurando respostas e meios para entender e parar de sentir aquela dor sufocante, pensamos, refletimos e no final acabamos encontrando algumas respostas e começando a aprender o porquê aconteceu e como aconteceu. Ai depois de um tempo, novamente temos outra desilusão amorosa, só que dessa vez é um pouco diferente da primeira, já temos algumas ferramentas que nos ajudam a lidar melhor com isso... Mas mesmo assim sofremos. Na terceira vez sofremos também, mas menos do que a segunda e bem menos do que a primeira. Mas isso só se a cada desilusão nós tenhamos digerido e aprendido com a experiência que passamos, com isso passamos a ter não experiência, mas sim maturidade.

Se passamos pela primeira desilusão amorosa e por arrogância, prepotência e egoísmo não vemos as coisas como elas são e não aprendemos o que deveríamos aprender, podemos passar por uma, duas, três... Quantas vezes aconteceram, todas parecerão ser como a anterior, com a mesma dor, com a mesma dificuldade e o mesmo sofrimento, tudo isso porque nos negamos a encarar o problema e aprendermos com ele, e com isso fazemos o que eu disse lá em cima, passamos por cima do problema e não os resolvemos.

Isso é apenas um exemplo, mas vale para todas as situações, se estamos com um problema ou passando por uma crise, não queira "passar por cima do problema", acredite, você vai se deparar com ele mais pra frente, e o pior, além de você não estar preparado por você não aprendeu com a experiência anterior, você estará carregado com outros problemas, outras dificuldades que farão com que esse problema antigo pareça ser maior do que antes e cada vez que deixamos um problema para trás sem o resolvermos vai acontecer isso, e pior, vai virando uma "bola de neve".

Ai você me pergunta, " Mas se é isso mesmo, o porquê eu sempre passo por problemas há tanto tempo e sempre os encaro e não fujo, mas sempre continuam acontecendo?"

Simples, porque o que devemos aprender podemos aprender com uma experiência curta, tem outras que levam um tempo um pouco maior e tem aquelas que levam muito tempo para aprendermos, mas tudo isso é determinado pelo modo que vemos os fatos, vai depender de nossa humildade e o quanto assumimos o que é nossa culpa por um problema, e da forma que tratamos quando a culpa não é nossa, a responsabilidade que lidamos com isso e a compreensão que temos com a pessoa que cometeu tal erro.

Afinal, se sabemos algo hoje é porque aprendemos com nossas experiências e evoluímos com elas, a onde é o que define o que somos e como lidamos com cada situação. Vendo isso aprendemos e entendemos que jamais podemos cobrar um comportamento de uma pessoa que nós teríamos no lugar dela, pois ela aprendeu coisas diferentes, de formas diferentes e com uma mentalidade e maturidade diferente da nossa, portanto, nunca uma pessoa de forma natural vai ligar com as situações da mesma forma que a nossa, naturalmente ela vai lidar de outra forma porque ela vai usar as ferramentas que ela adquiriu ao decorrer de sua vida.

É por isso que hoje vemos e conhecemos pessoas que consegue ver com clareza muitas que antes eram "ocultas" para nós, é por isso que você se depara com uma pessoa de 58 anos que "teoricamente" pela cultura de antigamente, essa pessoa deveria saber muitas coisas e ser uma pessoa bem experiente e madura, ma vemos um adolescentes birrento e mimado em uma pele se um senhor de idade, e por outro lado vemos hoje pessoas com 9 anos de idade com uma maturidade e uma clareza para compreender as coisas que muitas vezes ficamos surpresos com isso.

Muito além disso, tem nossa experiência e evolução espiritual, que é a onde temos base desde nossa infância para lidarmos com coisas que não passamos. É por isso que tem coisas que sabemos sem nunca termos vivido ou experimentado aquilo, é por isso que temos os dèjávus.

"Tudo o que nos coloca algum tipo de limite ou barreira é ruim, sejamos livres e vivemos de tudo para que possamos expandir nossas fronteiras do conhecimento de nós próprios e decidirmos o que é bom ou ruim para nós mesmos, desde que essas ações não prejudiquem nada nem a ninguém."

Paulo Cuba

3 comentários:

Vesta Tiamat disse...

"Quando deixamos de lidar com um problema por medo, por cansaço ou somente por preguiça (sim, tem isso também), cometemos um grande erro por quê? Porque se estamos passamos por aquele problema ou aquela crise é porque futuramente vamos precisar das ferramentas que adquirimos com essa crise para resolver um problema ou mesmo, ajudar outra pessoa."
>Tem uma pessoa que vivia me falando que o ser humano precisa
de crises para se movimentar.
E esse texto me fez pensar o quanto
ela estava certa.Abraços.

Sammy disse...

Paulo vc eh meu poeta predileto amigo! te amo muito

Débora disse...

Ô Paulo,
Pois é, assim fechamos mais um ciclo de bons papos e muito aprendizado. Obrigada pelas sabias palavras que ajudaram a mim e, com certeza, a tantas outras pessoas. Parabéns pelo no layout do blog ficou show. Beijos